Gastronomia
03.09.2015
03.09.2015
03.09.2015
03.09.2015
03.09.2015
26.06.12
Mabu
por Jussara Voss

Conheça as delícias do Dumont, restaurante do Mabu Thermas & Resort, em Foz do Iguaçu.


Tenho sonhos, às vezes tenho muitos. Imagino não ser a única. Sonhava também o espanhol Don Alvar Núñez Cabeza de Vaca – o primeiro europeu a ver as Cataratas do Iguaçu – quando aqui chegou. Acredito que o editor desta Ideias, nascido na foz, também os tenha. Aliás, foi Fábio Campana quem, recuperando literatura passada de mãos em mãos familiares, mesmo que em obra ficcional, resgatou com brilho lapsos da vida do fidalgo aventureiro que veio de longe, carregado de boas intenções, desbravar as Américas. E se a força das águas que banham as fronteiras de dois países impressionam hoje, faço um exercício e, de olhos fechados, ainda consigo sentir a energia do lugar, imagino o descobridor, em meio a tantas dificuldades da época, numa estrada da sua peregrinação, dar de cara com o espetáculo inesquecível das águas, em pleno século XVI. Tinha descoberto um tesouro, mas na época era o ouro e a prata que procuravam. Como num espirro d’água, passo para a história de outra família que sonhou construir um lugar naquelas terras para oferecer “uma experiência memorável” a quem quisesse e pudesse. Com piscinas naturalmente aquecidas, uma fonte de água mineral e em mais de 10 mil metros quadrados de área verde, além da determinação, de muito trabalho e da paixão pelo solo brasileiro do patriarca da família Mauad Abujamra, nasceu o cinco estrelas Mabu Thermas & Resort. Lugar paradisíaco sustentado com garra familiar, principalmente das mulheres, ancorado também no nome, junção de letras dos dois sobrenomes, que é planta forte, resistente, que floresce em qualquer clima e vem a ser justamente o papiro, a palmeira africana de folhas têxteis, que sustenta essas linhas. Foi ali, numa pequena sala do imponente hotel que, como convidada, tive a minha “experiência memorável”: um banquete cercada de amigas de fé e de tempo. No Dumont, o restaurante internacional do local, que só atende com reservas, pude comprovar o bom gosto e o serviço afinado com simplicidade e elegância, bons ingredientes e saborosos pratos, imprescindíveis para quer passar bem. Há quase 40 anos no mercado hoteleiro, a família – agora são os filhos descendentes de libaneses que tocam o empreendimento – gosta de reunir amigos, ter fartura, festejar, viver intensamente e, como afirmam, ter “paixão de fazer algo especial e o prazer de partilhar isso”. Não poderia ser diferente. Mal se pode imaginar o périplo de Cabeza de Vaca, injustiçado desbravador, que por aqui muita sorte não teve. Nós, desafiados por outras mazelas, seguimos procurando “experiências memoráveis” que inspirem novos sonhos e nos permitam viver.

Dumond

Banquete preparado com atenção aos detalhes. Prata nos talheres, cristais nas taças, linho engomado na toalha e guardanapos, serviço sincronizado, principalmente na abertura do cloché, especiarias, ingredientes de primeira e vinhos de qualidade e boa safra foram pano de fundo para o jantar que aconteceu no restaurante Dumond há algum tempo. Silêncio. Respiramos. Aos poucos, fomos nos entregando aos prazeres da mesa. Amadeu Reis, gerente de gastronomia da rede de hotéis, com mais de 10 anos de experiência em restaurantes entre Inglaterra e Itália, explica que a cozinha do Dumond é franco-italiana. Especialidade: cozinha com paladar. Serve 56 pessoas, no máximo, e o cardápio é definido com o cliente. O pedido que ele tinha recebido para aquele dia: surpreender. Foi o que aconteceu. Reis está desde 2005 no hotel em Foz do Iguaçu e diz estar acostumado com a cidade, apesar do calor. A temporada no exterior trouxe experiência, além da adquirida com a sua família, que era do ramo também. No Mabu, conta com a ajuda do barman Valter Schroeder, do maître Antonio Bay e do gerente de atendimento Alceu Vieira para que tudo funcione com equilíbrio. Passam por ali estrelas globais, artistas de outras paragens, estrangeiros, governadores e interessados em boa comida. “O Dumond é para momentos especiais e para quem quer alguma coisa diferenciada”, ressalta. O cardápio atende o que as estações pedem e oferecem. Como deve ser. Naquela noite começamos com um couvert caprichado, avançamos com uma salada de folhas frescas, coberta com brunoise de frutas tropicais, temperada com vinagre de amora e romã e aspargos. Depois o medalhão de lagosta com molho de Dry Martini, nata fresca e açafrão e legumes em bastão amarrados com um fio de alho-poró abriu o caminho para o filé mignon com crosta de queijo roquefort, redução de vinagre balsâmico, acompanhado de arroz selvagem. O queijo brie veio ao lado do maple syrup e da geleia de amora. Bavaroise foi a sobremesa servida com caldas de frutas vermelhas. Trufas e café e nem vou falar das bebidas servidas, harmonizadas comme il faut, apenas destaco o licor italiano Sambuca, que veio ao final da belíssima ceia. Segui com a alma enlevada, precisando apenas entrar no elevador para alcançar a morada dos sonhos.

Serviço
Mabu Thermas & Resort
Avenida das Cataratas, 3.175 – Foz do Iguaçu-PR
Telefone: 45 3521-2000 / www.hoteismabu.com.br

Fotos: Em sentido horário: Equipe afinada – Antonio Bay, Alceu Vieira, Amadeu Reis e Valter Schroeder. Salada de folhas frescas, brunoise de frutas tropicais temperada com vinagre de amora e romã e aspargos. Medalhão de lagosta com molho de Dry Martini, nata fresca e açafrão e legumes em bastão amarrados com um fio de alho-poró. Filé mignon com crosta de queijo roquefort, redução de vinagre balsâmico e acompanhamento de arroz selvagem.


Tags:



TAMBÉM NOS ENCONTRAMOS AQUI: