A discreta Bruna

Bruna Alcantara é jornalista. Mas o que ela gostaria mesmo é de se dedicar a escrever sua literatura, seus contos e suas crônicas, que constrói com matéria de memória e do contato com gente simples, anônima, que encontra nas ruas e em suas visitações aos bairros da periferia da cidade.

Fica proibido aqui dizer que é mulher bonita, porque ela não gosta desse tipo de referência. (Será que não?) Prefere que falem de seu trabalho e de suas ideias, as mais libertárias possíveis.

Neste número da revista há uma crônica de Bruna que é deliciosa. “Amor e comprimidos”, na página 56. Leia para perceber a sensibilidade da moça. Sensibilidade que ela gosta de esconder sob uma couraça que a torna inabordável. É a melhor promessa de bons textos que pintou nesta área chuvosa do planeta na última década.

Bruna Alcantara


TAMBÉM NOS ENCONTRAMOS AQUI: